esmola

vendo um post deixado por uma conhecida, me levou a pensar a respeito das esmolas de sentimentos que as vezes nos acostumamos a receber e nem percebemos, e o que vou escrever não sei se é o caso dela, mas sei que já foi o meu… aceitamos dividir as pessoas com outras, e achamos normal fazer triângulos, quadrados ou qualquer polígono que a imaginação permitir… talvez por medo da solidão ou sei lá… eu sei que eu prefiro estar sozinho a ter que dividir com outro minha mulher, e quando isso acontece é sem meu conhecimento, e ao descobrir, esqueça, game over… e detalhe, não ressuscita… uma trepada com outro, não é um simples “escorregão”, se escolhe isso, se pensa nisso, e se resolve quebrar a confiança… então se escolheu outro, fica com outro, é simples… mas tem gente que insiste em querer aceitar… afinal estamos tão acostumados à migalhas, esmolas, ou qualquer coisinha… tipo um bom dia com um sorriso e pronto… ou pior, hoje nem mais isso… um scrap bonitinho já é suficiente… eu quero além disso, eu quero mais, e com certeza muito mais… afinal, se ela me tem por inteiro e dedicado, porque vou aceitar uma fração? que coisa mais idiota… e claro, também não dá pra ser o outro… respeito quem acha isso legal, apenas lembrando… nem todos são psicopatas, mas todos estão sujeitos a surtos psicóticos… quer correr o risco? fique a vontade só que escolha outro, eu tô fora… sou alérgico a chumbo… e de fato, existe hoje alguma mulher que valha realmente esse empenho? como um caso que ouvi já a algum tempo… três famílias destruídas… uma sem o filho, outra com um filho homicida, e outra com a filha que se achava a gostosa… que ótimo…

Anúncios

anotações VII

quando alguém chega e dá em cima da mulher que tá comigo, primeiro, ela é bonita, e já diz aquele ditado, “de cavalo manco e de mulher feia, quem vai atrás é só o dono”… segundo, eu não vou ficar posando de macho ofendido, afinal os chineses já inventaram a pólvora e sabe-se lá o psicopata ou bandido que possa estar ali, um pouco de cuidado sempre é bom… e terceiro, que na minha opinião é o mais importante, eu não estou preocupado com a atitude dele, mas sim com a dela… é a escolha dela que no final das contas me importa… que outro jeito eu teria de saber se ela é digna de confiança se não for testada? qualquer coisa fora isso, é insegurança minha e só atrapalha… e seguindo essa linha de raciocínio, apenas mudando de lado, as vezes tem aquelas que chegam e ficam falando do namorado, aí fica a pergunta: a quem é que ela tenta convencer de que tem um? eu? ou a ela mesma? por isso acredito em relações que são construídas na confiança e amizade, porque as que partem da pura e simples pegação ou como se diz, química, dá nessas dores de cabeça… e gera uma insatisfação e desconfiança crônicas… fora o ciúmes doentio… aí o que era pra ser bom e curtição, vira cobrança e briga constante…

anotações VI

continuando a linha de raciocínio do post anterior:

o mais interessante disso é que, se toda ação terá uma consequência, isso passa a ter junto da liberdade, a responsabilidade… porque não posso culpar ninguém, nem alguma coisa pela decisão errada… se minha escolha foi uma besteira… ela é única e exclusivamente responsabilidade minha, e de mais ninguém… agentes externos podem influenciar, mas a decisão é de inteira responsabilidade minha… e isso dá uma outra perspectiva… eu decido o que quero da minha vida (sem entrar em aspectos religiosos)… se por birra tomei uma resolução, não importa qual foi o motivo… as consequências serão minhas, e não poderei atribuir responsabilidade à quem me influenciou das consequências advindas… serão apenas atenuadores, mas quem terá que limpar a sujeira, serei eu mesmo… isso dá um certo temor… pois sempre estamos acostumados a imputar à alguém a responsabilidade das cagadas que fazemos… e no fim das contas… isso não nos livra de nada mesmo… apenas explica, porém, não justifica… e isso deixa tudo mais interessante… será que é a ou b? será que é esse ou aquele caminho? apenas se poderá saber depois… viver é o maior barato, não precisa aditivos químicos…

anotações V

a liberdade não está pronta, é algo a ser construído, e vai se modificando a medida que nossa visão de mundo vai se ampliando, ou seja, quanto mais elaborada, mais interessante, e melhor para ser compartilhada… é como se fosse um papel em branco diante de nós… qual é a melhor direção ou escolha? não sei… saberemos apenas após dar o primeiro passo…

sem eira nem beira

…as vezes é hora de ensacar a violão, é tomar a estrada de novo, eta vida sem eira nem beira… por mais que eu tente lançar âncora… ou deitar raízes… semear sonhos, e colher alegrias… e dos frutos doces da vida, partilhar sonhos que serão semente outra vez… eta vida sem eira nem beira… perdi metade do meu coração por aí, e saí buscar… revirei cada folha, e não encontrei… olhei aqui e alí… olhei longe… e lá fui eu… que ribanceira… mas é certo que pedra que rola não cria musgo… junta-se os cacos, põe um sorriso e se levanta, bate o pó e continua… e vai procurando… um canto de sereia ali, outro acolá… e nada de achar… e outra ribanceira… e mais uma vez bate o pó, sorriso no rosto e vamos embora… pedra que rola não cria musgo… eta vida sem eira nem beira… sem pouso nem paragem… teu destino é o mundo… mas que bom seria se fosse junto com a metade perdida…

inteligência

algumas coisas que realmente não entendo, e sinceramente não quero entender… situação: ela nem bem pegou na mão e já começa com crises de ciúmes… de primeiro é até bonitinho… mas depois numa análise um pouco mais detalhada… se nem começou nada direito ainda e já está tendo crises de ciúmes, depois então da cama, mesa e banho, será o que? além do mais, a gente só enxerga no outro aquilo que a gente tem na gente… ou seja, a mulher que acha que o cara a trai até com uma vassoura vestida com saia… (aplica-se para homens também) tem coisa errada… melhor se deter um pouco e observar… e depois se quiser entrar nesse rebu, faça um seguro das bolas… porque periga você amanhecer um dia sem as mesmas, e o pior, sem saber direito o porque… outra situação: mal troca duas palavras e já vira a rosto… bom… como será então depois de fato amando? irá calçar as esporas, amaciar o pelego, e montar nas costas? e o pior não é isso… pior é a marca de arreio que fica no lábio… já imaginou? “fulano o que que é isso? nada… apenas o arreio que tava apertado demais…” nem vou citar as marcas das esporas nas costelas… enfim, deixando a brincadeira de lado… tem homem que não aceita coleira, e a mulher tem que ser muito inteligente, perspicaz e audaciosa para conseguir colocar… e aliás, todas qualidades que me deixam muito interessado… inteligência é afrodisíaco… um corpo bem feito e um rosto bonito são cartões de boas vindas sem dúvida… mas aquela que sabe usar bem o que Deus lhe deu, ah!!! isso é muito bom!!! e está ao alcance de todas… questão de escolha…

ufa!! ainda bem!!

cada vez que a vida me dá um tapa na rosto, visto que as coisas não são como gostaria que fosse, paro e me pergunto o que é que a mesma quer me mostrar, ou principalmente quer desviar do meu caminho, ou quem sabe ensinar… e corro logo colocar em prática… as vezes as pessoas interpretam bondade como burrice, ou pelo fato do fino trato com que lido com as pessoas ao meu redor, visto que todas merecem educação e gentileza da minha parte num primeiro momento, sem escarnecer, ou zombar pois isso apenas denota uma mediocridade minha e uma séria falta de conteúdo e argumentação… se consideram no direito de entrar tratorando em minha vida, lembrando apenas que o espaço geográfico da mesma está muito bem delimitado… lamento só quem não percebe isso, pois perde um amigo leal ou, se mulher em questão, um companheiro dedicado… que afinal, são coisas que tem em qualquer esquina… mas o que na realidade eu penso é, ufa!! ainda bem que a vida me livrou de mais uma encrenca…