tempo

as vezes gostaria de ter chego a tempo… e penso que até tenha chego… mas talvez minhas incertezas, minhas crenças, meus valores inflexíveis de todo bom filho de xangô, fizeram desse pequeno tempo, insuficiente para uma história diferente…

índigo

se você não é espírita, ou não acredita nessa parafernália de reencarnação, vida pós morte, nem leia, e nem me pergunte nada… esse texto se baseia em uma análise empírica minha sem conteúdo sólido e muito menos querendo converter quem quer que seja… tô feliz com meus despachos, rezas na igreja e passes no centro… e duvido que isso sirva para alguém equilibrado…

escutei mais de uma vez comentários no meio espiritualista sobre as crianças índigo, e toda aquele blá, blá, blá costumeiro à isso… e de que pais e mães que falavam que seus filhos eram crianças desse tipo… e que eram especiais, gênios… enfim aquela coisa estreita de pai e mãe que acha que o filho que tem em casa é algo de especial.. é sem dúvida para eles, mas para a sociedade, não… são como outras quaisquer, você não reconhece uma criança índigo, até a hora que você dá de cara com uma… então é possível entender que aquele pequeno gênio que se tem em casa, inteligente, birrento, chantagista, fera do pc, bom em matemática ou em idiomas, ou sei lá o que, não é uma criança índigo… é apenas uma criança super exposta a estímulos que responde bem aos mesmos… devido a uma quantia de informação que precisa ser processada cada vez mais cedo… diferente da minha geração, ou mais distante ainda da geração dos meus pais… um pouco de bom senso e de busca no big brother google respondem alguns questionamentos superficiais…

são crianças diferentes… elas tem uma capacidade além do comum, como se fossem já adultos em algum aspectos, porém sem os freios que um adulto teria… capacidade de perceber seus pontos fracos, e uma astúcia em usá-los, que assusta alguém desprevenido disso… ou seja, aquela conversa, vamos ser amiguinhos, não cola… ou… olha, Jesus foi um cara legal ele ama a todos nós… também não… se prepare para ter argumentos muito bem fundamentados e extremamente lógicos… são mentes persuasivas, rápidas, e contestadoras… o que é muito diferente de uma criança birrenta… são crianças que não se submetem, assim como se fossem adultos… ou seja, se você é pai de uma delas… ore muito pedindo orientação e não tenha vergonha em buscar auxílio de profissionais… você vai precisar…