forte

as vezes queria poder gritar socorro, arrancar daqui de dentro o que sufoca, o silêncio que ensurdece, ou a solidão que evita aglomerações de pessoas… que as palavras saíssem depressa, não arrastassem esse turbilhão de emoções que as vezes me cega, me emudece, anestesia a realidade, me faz perder o foco… que interessante é perder o foco… refletir sobre a vida inteira para trás até aquele ponto… e o que se fará em diante… ou se minhas marcas na areia permanecerão só… que interessante é sentir-se fortaleza sabendo-se fraqueza, que triste é descobrir que o medo da entrega se fez fundo no peito, e que desgraça é lidar com isso… entre esses extremos, tentar equilibrar-se dizer segura firme que eu te puxo, mas creio que é, tu me puxas? que diferente é sentir-se tão menino, tão passarinho querendo voar, mas tão preso na gaiola… que bom é sentir-se tão teu, mas que ruim é sentir-se tão só… que dramático é acordar desse sonho… só quem experimentou do fel sabe apreciar o sabor do mel, mas o paladar ainda está acostumado com o amargo, que às vezes ao receber flores fica a procurando os espinhos… sou forte porque respondo ao teu chamado… ou será apenas mais um sonho? se vens comigo, te digo, conheço alguns caminhos cheios de espinhos, por lá não te levarei… meu coração se feriu por lá, e o teu? ah! não deixarei acontecer o mesmo…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s