os zinta chegando ao fim

caso não ocorra alguma fatalidade antes, como avião caindo aqui em casa, me tornando alvo de uma bala perdida, ser atropelado por algum borracho ao volante… tudo leva a crer que entrarei nos zenta amanhã, afinal sou um legítimo SRD safra 74…

não teve jeito de escapar, Deus não me quis nem o diabo me aceitou, não que tenha objetivamente buscado descobrir se por acaso algum deles existe, mas como bom filho de xangô, levei uma vida onde por várias vezes permanecer vivo seria um mero detalhe, ou como dizem os candomblecistas, “só estão vivos por misericórdia do santo”… como andar no capô do carro… arranjar briga bêbado, ok, foi uma vez só, mas valeu pela vida toda, pois deveriam ser uns trinta sendo salvo porque no meio deles tinha um camarada meu… dirigi a mais de 200 km/h… fui racheiro convicto… enfim, uma série de coisas de gente retardada…

casei, divorciei, a casa que ajudei a construir ficou para trás… me lancei candidato… as chances desperdiças, e tantas outras coisas que nesses dois últimos meses passaram pela cabeça como se tivessem acontecido ontem… desde a escola, viagens, amores, mulheres, um tanto de coisa que parecia um balancete diário… péssima hora para uma crise existencial, ainda mais sendo antecedida por uma deprê do cão que me fez pagar a língua por achar que isso era coisa de gay…

teimoso, repito o erro várias vezes para ter certeza que é errado… mudei de estado por causa de mulher, duas vezes… infelizmente ainda não descobri uma que valha tal esforço… desgraçadamente ainda não deixei de ser romântico, ainda que seios seja o que mais acho bonito, são sorrisos e olhares que me quebram as pernas…

enfim… diz que da infância o mais difícil são os primeiros quarenta anos, verei então como serão os outros quarenta… quem sabe não tenha mais vontade de apertar a campainha e sair correndo, molhar os outros em dia de chuva, ou ao passar uma moça na rua com aquelas saiazinhas esvoaçantes, fique torcendo para que bata um vento e a levante, não vou nem comentar à respeito de escadas… e quem sabe, como diz Pepe Mujica sobre Lucia ¨Hay una cara femenina del acontecer que si no existe, estamos perdidos¨… a cara metade apareça, pois a área que escolhi, política internacional, é tão podre, tão imoral, que ainda me falta a companheira para que seus olhos e sorriso não me deixem perder o que há de humano dentro de mim…

Anúncios